PALHOTA E BUDDIES A UM PONTO DA ELITE

SuperLiga Série Almada

Buddies Drunk 9 – 3 Rosana Bar
MICHEL EM NOITE INSPIRADA DINAMITOU DEFESA CONTRÁRIA

O Buddies e o Rosana entravam em campo para discutir vaga na fase seguinte, entre duas equipas com aspirações legítimas a poder lutar pelo apuramento. O jogo começou a bom ritmo mas o Buddies mostrou que queria rapidamente mostrar ao que vinha. Hassan abriu o marcador e pouco tempo depois Michel fez o 2-0. Resposta do Rosana pelo inevitável Ião, Adriano voltou a dilatar para 3-1 e Dário fez o 3-2 pouco tempo depois. Mas a recta final de primeira parte do Buddies foi mortífera. Futebol apoiado, a ritmo alto e com boas combinações colectivas, Tiago fez o 4-2, e o seu capitão Nuno Cirilo e Miguel fizeram o 6-2 com que se chegou ao intervalo. O Rosana tentou entrar em jogo no segundo tempo mas Michel voltou a fazer o gosto ao pé, com João Chora de livre directo a reduzir e a deixar ainda o Rosana no jogo. Mas o Buddies mostrou que não tinha muito a dar ao seu adversário neste encontro, e com jogadores de elevada valia individual ia criando muitos problemas para o Rosana. Não foi por isso de estranhar que o marcador se dilatasse ainda mais, com Michel a completar um dia muito forte da sua parte com um hattrick, e Nuno Cirilo a bisar à boca da baliza, numa vitória por números expressivos e muito importante para a equipa. O Rosana teve uma noite muito longe do seu habitual e tem na próxima ronda momento decisivo para si na procura de ter hipótese de se apurar.

HM Automóveis 2 – 4 MCAC
RAJADA DE BALA(S) RUMO AO APURAMENTO

Jogo grande em Almada e com casa cheia com algumas caras bem conhecidas do nosso futebol. De um lado o MCAC, que só somava vitórias, frente ao HM Automóveis que depois do empate na semana anterior não se queria atrasar frente ao seu velho rival. O jogo começou intenso, bem disputado e onde todos os duelos eram vividos ao máximo. Poucos espaços haviam na fase inicial, com as duas equipas a procurarem equilibrar-se e encaixar. O MCAC acabou por se adiantar à passagem dos 18 minutos, numa boa jogada de envolvimento, com Hugo Bala a desferir um remate fortíssimo junto ao poste a abrir o placard. O HM respondeu criou situações, e Hugo Mafra já depois de ter tirado tinta à barra da baliza contrária, fez mesmo balançar as redes com uma finalização oportuna depois de um passe de Mesquita. Só que do outro lado a mira estava afinada, e os tiros também. Novo disparo de Hugo Bala, depois de uma boa recepção, a colocar a sua equipa na frente ao intervalo. O segundo tempo trouxe um HM com a tentativa de ter bola e criar ocasiões, mas o MCAC estava a fazer o melhor jogo até à data. Fortíssimos nos duelos e a nível defensivo irrepreensíveis. Com bola, iam criando espaços, procurando soluções e com uma mobilidade difícil de travar. Foi num desses lances que quase mataram o jogo com o 3-1, mas um conjunto de ressaltos evitou o que aconteceria minutos mais tarde, com Fábio Coelho a finalizar ao segundo poste uma jogada colectiva de grande qualidade e a deixar tudo praticamente decidido. Se dúvidas restassem, 4 minutos mais tarde, Valter Ferreira atirou sem hipótese, a coroar uma exibição muito boa da sua parte com mais um golo para a conta pessoal. O MCAC sentiu o jogo ganho e relaxou nos minutos finais, com o HM a nunca desistir do encontro e a reduzir pelo inevitável Hugo Mafra, e a tentar ainda chegar à margem mínima que lhe desse nova vida no jogo mas já não houve tempo para mais. Vitória justa da melhor equipa em campo.

SuperLiga Série Barreiro

Canarinhos F7 2 – 8 Ba-yern
BAGUINHO COM HATTRICK MOSTRA-SE DECISIVO

Jornada muito importante no Barreiro. Em confronto estavam duas equipas separadas apenas por um ponto e, o vencedor, garantia à partida, favoritismo para estar na divisão de Elite. O Ba-yern entrou a todo o gás, com muita vontade de mostrar à partida quem era o favorito. Aos 20 minutos com o resultado em 3-0, as dúvidas que pudessem existir pareciam dissipar-se. Logo no primeiro minuto, Vasco Margaça adiantou a sua equipa, pouco depois, Miguel Dias fez o segundo e João Nobre aos 20’ fez o 3-0, começando a escrever a sua noite de glória nesta partida. Vasco fez o 4-0 já na segunda parte, e a reacção dos Canarinhos foi no minuto seguinte pelo seu todo-o-terreno André Bandeira. A equipa do Ba-yern estava com um ritmo avassalador e voltariam aos golos pouco depois, com João Nobre a bisar, numa grande exibição da sua parte, tendo o inevitável Pedro Valente, pelo meio, feito também o gosto ao pé. Os Canarinhos lutaram muito, procuraram espaços, e acabariam por fazer mesmo o tento de fecho de jogo por intermédio do seu capitão João Pais. Vitória justa do Ba-yern que assim mostra ser capaz de lutar pelo apuramento para a divisão de elite.

FasterFix 0 – 6 Chape
DANIEL ALEXANDRE COM NOTA ARTÍSTICA ESTEVE EM DESTAQUE

Jogo que se aguardava de muita emoção entre duas equipas a que só interessava a vitória! O FasterFix tem sido algo irregular no seu desempenho mas já mostrou ser capaz de derrotar qualquer equipa, como foi o caso do primeiro classificado até ao momento, que regista a única derrota até ao momento frente ao FasterFix. Já o Chape, sendo sempre um osso duro de roer, e com alguns momentos de muita qualidade já este ano, também queria vencer, o que fazia prever um jogo sem muita responsabilidade defensiva e muitas ocasiões de golo de parte a parte. Só que o Chape entrou a todo o gás e cedo se adiantou no marcador. Daniel Alexandre, de pontaria afinada, e com muita qualidade, bisou ainda antes dos 10 minutos e colocou a sua equipa na frente. O FasterFix procurava responder e mostrar a sua qualidade, mas a organização defensiva do Chape era irrepreensível, conseguindo sair também com qualidade e critério em contra-ataque. Foi em mais uma dessas situações que se originou o lance do terceiro golo, onde João Ferreira fechou o resultado ao intervalo. A segunda parte foi completamente diferente, o jogo dividiu-se e as ocasiões de golo foram-se sucedendo de parte a parte, com o FasterFix a tentar reduzir distâncias para entrar no jogo. Só que o tempo foi passando e quem aproveitou foi o Chape que nos últimos 6 minutos fez 3 golos e resolveu a questão.

SuperLiga Série Amora e Taça

Amigos Imigrantes 2 – 7 Promessas Esquecidas
CRISTIANO COM “MANITA” FOI O MATADOR DE SERVIÇO

Jogo muito aguardado entre os Amigos Imigrantes e as Promessas Esquecidas. Em contexto de taça, esperava-se que as duas equipas adoptassem uma postura mais conservadora mas não foi isso que aconteceu. Jogo aberto, com ocasiões de golo de parte a parte e alguns momentos de muito bom futebol. Não foi por isso de estranhar que o marcador se fosse dilatando e a eficácia das duas equipas tivesse sido premiada com vários golos, para todos os gostos, e no final as Promessas Esquecidas saíram mesmo com a passagem à próxima fase. Destaque para Cristiano que com uma manita foi um quebra-cabeças para a defesa dos Amigos Imigrantes.

Forty Five’s 11 – 2 NEP
CAMACHO EM NOITE INSPIRADA GUIOU EQUIPA À VITÓRIA

Jogo de taça entre duas equipas com qualidade individual para dar e vender. Só que os Forty Five’s entraram com muito ritmo, boas combinações colectivas e a chegar com relativa facilidade a zonas de finalização. Não foi por isso de estranhar que o marcador se fosse dilatando conforme os minutos foram passando, pese embora a muita réplica do NEP que tentou estar sempre no jogo, mas a maior qualidade individual e colectiva dos rapazes de bordeaux mostrou-se decisiva para a vitória neste primeiro jogo da ronda.

The Gunners 5 – 3 Red Devils
GUNNERS VENCEM E ALTERAM TODAS AS PROBABILIDADES DA PROVA

Derby decisivo entre RedDevils e The Gunners. RedDevils vencendo estariam na Elite, The Gunners vencendo ascenderiam ao 3º lugar e continuariam a depender de si para serem campeões.

Grande jogo em expectativa entre estas duas equipas mais que conhecidas entre ambas. Os Red Devils até começaram melhor a vencer tendo do seu lado João Oliveira com a pontaria afinada a efectuar um hattrick. Do outro lado, quem mais senão Fox a bisar a ser fundamental para a equipa. Bem ajudado por Pedro Alves com um hattrick fizeram os 5 golos da reviravolta dos The Gunners.

Com esta vitória existem agora 4 equipas que dependem de si para se apurarem à Divisão de Elite. E as 4 ainda vão jogar entre si. 1º contra 2º e 3º contra 4º. 2 jogos decisivos para a definição das equipas que vão à Divisão de Elite.

SuperLiga Série PinhalNovo

CDR Bairro do Liceu 6 – 1 Atlético Setúbal
JORGINHO PÉ QUENTE FAZ HATTRICK

Jogo para a 1ª jornada da fase de grupos da taça. Estas equipas já se tinham encontrado para o campeonato com uma vitória por 1 para o Bairro do Liceu que iria tentar repetir a vitória. Atlético de Setúbal que tem vindo a melhorar tentava assim a sua vingança.

Jogo começa intenso com um golo cedo de Arruda. Um dos momentos do jogo, foi pouco depois, num penalti do atlético de Setúbal que acaba por colocar por cima da baliza. Continuação de um jogo renhido, onde uma tabela entre Ion e Jorginho acabou por desbloquear o 2º golo de diferença e no minuto seguinte, de penalti fez o 3-0 da segurança.

A 2ªparte foi mais desinibida com ambas as equipas a jogarem de uma forma natural. Com 3-0 Liceu sentiu sempre que tinha o jogo na mão mas atlético lutou até ao fim. A 10 minutos do fim Jorginho voltou a marcar e retirou todas as dúvidas. Atlético de Setúbal acaba a marcar na última jogada do encontro por Tiago Rosa, o melhor elemento do atlético de Setúbal em toda a partida.

Com esta vitória por 6-1, Bairro do Liceu depende de si para ir à Divisão de Elite.

Desportivo Sul United 3 – 2 Portela Cafés
PEDRO SILVA RESOLVE

Grande derby em expectativa. 2 históricos que não podiam perder por se tratar de 2 velhos rivais!

Jogo começou logo com um golo cedo de Pedro Silva. Num jogo muito renhido, foi em 2 minutos que o Portela Cafés deu a volta por Vitor Alves e Fábio Russo. Numa primeira parte electrizante, duas equipas ofensivamente muito agressivas mas sempre mantendo o equilíbrio manteve o resultado de 2-1 até ao intervalo.

2ª parte o ritmo manteve-se. E o golo poderia surgir para qualquer lado, até que surgiu Pedro Silva. Num remate de primeira num angulo fantástico a colocar a bola no angulo. E pouco depois, nova jogada individual de Pedro Silva dá mesmo a volta ao marcador, festejando efusivamente a vantagem na partida. Duas equipas que ressentiram-se do cansaço e por isso ia dando aso a diversos a contra-ataque de parte a parte. Ainda assim o resultado manteve-se de 3-2 até ao final.

Vitória para o Desportivo Sul United ascende assim o 5º.

Sadinos 6 – 1 Bridgestone PT
SADINOS SÃO A PRIMEIRA EQUIPA A QUALIFICAR-SE PARA A ELITE

Sadinos tinham de vencer para garantir a presença na Divisão de elite, Brigestone vencendo subia ao 7º lugar.

Sadinos entraram em campo decididos a vencer. Praticando um jogo de muita posse chegaram ao 2-0 nos primeiros 15 minutos da prova. Sadinos foi mantendo a segurança e um ritmo baixo, suficiente para manter uma vantagem de 2-0 até ao final.

Na 2ª parte serviu essencialmente para os Sadinos para gerir a partida e partir rumo a uma goleada. 2 golos do estreante Rui Gonçalo acompanhado de Tiago Mascarenhas e Caires fizeram os 6 golos da equipa dos Sadinos. Lamosa, de regresso à prova, é já o batedor de penaltis da equipa e sem tremer marcou o único golo da equipa.

Sadinos são assim a 1ª equipa a apurar-se para a Divisão de Elite

UD Palhota 8 – 2 FC Colinho
PALHOTA NÃO TREME E METE COLINHO FORA DA CORRIDA

Jogo decisivo para ambas as equipas. O vencedor ficava a um ponto da Elite enquanto que, quem perdesse ficaria definitivamente de fora.

Colinho apresentou-se num 2-3-1 muito móvel onde muitas vezes apareciam com 4 homens no meio-campo enquanto que o Palhota apresentou-se num 3-2-1 muito móvel com uma boa ocupação de espaços do lado da bola. 1-0 surgiu num lance de 1×1. Rafael Morais recebe contorna o defesa e no 1×1 com o guarda-rede coloca ao 2 poste para Edson encostar. Pouco depois Edson e Morais voltaram a fazer estragos mas sem conseguir golo desta vez. Ruben Lopes entrou para avançado, para a equipa do Colinho, e a sua velocidade e mobilidade fez diferença. No 1×1 contra Baiao conseguiu fazer o 1-1 trazendo uma grande emoção ao jogo.

O momento do jogo acontece no inicio da 2ª parte, já com 2-1 para o Palhota, o Colinho tem duas situações de perigo por parte de Claudio Futre e Ruben, mas seria o Palhota que marcaria 2 golos ficando assim a vencer por 3-1. Colinho subiu linhas e passou a jogar com 2 avançados e a pressão fez efeito com Ruben Lopes a aproveitar uma bola solta e a encostar. Entramos numa fase de grande indefinição mas Cadimas estava de pé quente e na 2ª parte efectuou um poker que mudou tudo.

Destaque para o jogo de Edson que encheu o meio-campo e foi fundamental nesta vitória do Palhota.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.